Artigos - Visualizando artigo

Enquanto cresce o número de MEIs, inadimplência desafia micro e pequenas empresas

O Brasil já tem mais de 7,5 milhões de trabalhadores formalizados por meio do cadastro no MEI(Microempreendedor Individual), segundo dados do Portal do Empreendedor.

Em contrapartida ao crescimento contínuo de MEIs, o cenário para as micro e pequenas empresas segue difícil e números já indicam inadimplência recorde. Em agosto, 4,8 milhões delas estavam devedoras. Em um ano, o número de microempresários que não conseguiram pagar em dia as dívidas aumentou 14%. O quadro ruim para essa categoria de empresa se manteve, apesar da queda da inflação e retomada da confiança dos empresários e consumidores.

No período, 600 mil, em todo o País, entraram para a lista de inadimplentes, aponta um estudo da Serasa Experian. O estudo considera como pequena e microempresa companhias com faturamento anual de até R$ 4 milhões.

Apesar da alta inadimplência entre as micro e pequenas empresas e a retomada ainda tímida da economia e do poder de consumo, brasileiros sonham em empreender e ter a sonhada autonomia. É o que revelou uma pesquisa da Mindminers, na qual 57% dos entrevistados consideram o próprio negócio como a chance de ter mais liberdade e soberania. Entre os que ainda estão ensaiando para o empreendedorismo, 66% também acreditam na autonomia como principal vantagem.

De acordo com o levantamento, entre os entrevistados, 62% dos que já comandam um negócio em atividade têm de 18 a 30 anos. No grupo dos que pretendem abrir o próprio negócio, 86% têm de 18 a 30 anos.

Os números também mostraram que 42% dos empreendedores optaram pelo conceito de multicanal, ou seja, loja física e on-line. Uma preferência que desponta no grupo dos  propensos a empreender, no qual 51% querem ter loja física, além de um e-commerce.

Um dos fatores indicados que atrasam, muitas vezes, o negócio próprio, é a falta de capital. É o que 49% dos entrevistados revelaram.

Para os futuros empreendedores, 22% dizem ter até R$ 10 mil para investir em um negócio próprio e 44% ainda não sabem quanto terão para gastar.

De acordo com a gerente de marketing da MindMiners, Danielle Almeida, alguns dados são explicados pelo estereótipo criado sobre o que é o empreendedorismo. "A motivação da maioria dos entrevistados demonstra bem como o empreendedorismo ainda é visto de forma um tanto romântica no Brasil. Isso porque, ao contrário do que se imagina, ter a própria empresa pode significar muito mais tempo dedicado ao trabalho", afirma.

Fonte: Mariana Bruno da Silveira / Portal Contábeis


Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.

topo site